sábado, 12 de maio de 2007

poucos minutos
tédio vasto
em busca de sangue
ruídos
tessitura crônica do real

daqui vejo aqueles
que resistem ao tempo
que esquecem o peso
aquecer a pele
na frialdade da rotina

reimplanto espaços
e em chávenas de escuridão
alimento a alma sequiosa

páginas, letras; extrema mudez
a tediosa aventura continua
cada vez mais
paredes
poeira
silêncio e
solidão...


noite - 31-01-2007

Um comentário:

Jaqueline disse...

Meu !!!
Fantástica a sua escrita, acho que vc devia investir nisso...vc escreve muito bem !!!
Parabéns !!!