sexta-feira, 12 de maio de 2017

SOU UMA TÁBULA RASA
PARA SUA VULVA

GRAVA EM MIM 
TEU LEGADO

QUERO  MATAR
TODAS AS MINHAS FOMES EM TI

DELIRAR EM CADA 
GOTA DO TEU SUOR

DIALOGAR COM 
TODAS AS REENTRÂNCIAS

12-05-2017 - *


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

não duvido nunca 
da verdade do onírico

o sonho 
é uma verdade 
que ainda vai acontecer

27/01/2016

sábado, 26 de dezembro de 2015

A delícia do vazio. 
A sutileza da mudez das ruas. 

O visgo do cotidiano 
folgando o abraço. 

Liga o disco negro. 

Degusta. 
Desmaia. 

E vai!

25/12/15

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O que fazer diante de tudo?  
Qual passo? 

Pq o silêncio é tão calcitrante? 
Recebo a dádiva. 

A ruína 
erige-se voraz. 

Estou aqui. 
Sempre.

Nunca. 24/12/15
m.t.l.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

ENFIM
sei que não quero está aqui
e sei que não posso ir onde estás
enfim
resta-me encolher em meu leito fétido
e esperar os tentáculos do sono

14/12/2015 m.t.l.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O VENENO VENCE,
A CICATRIZ 
AINDA PULSA,
O NOJO CURA E ACALANTA! 30/11/15 - m.t.l

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

" És bala fumegante
Singrando a noite,

Navalha que parte a seda
Em pétalas mil,


Água fluídica
Paciente em seu gotejar.


És poesia constante!"

22/09/2015

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

não ouvi
ando rápido demais
e ando avoado
abrindo porteiras imaginárias
em corredores sem paredes

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Estamos idiotizados
pelo excesso da busca de sucesso
eliminando a "humanidade" do ser

parindo máquinas biológicas
seres de sensibilidade rasa
repletos de ódio
de um ódio suave
por tudo ao redor

mas isso não importa
afinal é ceder ao sistema
e aproveitar as benesses da máquina vil
e a colhedora que regurgita gente todos os dias!

segunda-feira, 18 de maio de 2015

FOGO CORREDOR
é o cão chupando manga
fogo corrredoor
bobonica da silibrina
vem pra cá estopô
peso na moleira
aqui é de rodo
levanta a carcaça
sacode o lodo
coorre corre pra melodia
gira gira na loucura
canta despiroca desfia
faz teu amargo virar doçura