quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

pesadelo recorrente
é sonhar e
esquecer sempre
cada imersão
um vislumbre cego
inexistir absurdo

correr noite adentro
chocar-se nas paredes
nada sentir
apenas o barulho
tonitroante
de um despertar súbto

insensível
criança rôta
doce imbecil
gesticulando
pro vazio
pra solidão
de quadros velhos

ou é estar vivo
e não suportar
cores
códigos
sons
e perceber
que pouca diferença
há entre o que sonha
e não lembra
e o vivo que não entende
o despertar?

17/1/2008

2 comentários:

J.G.H disse...

O porvir...

O final fechou com chave de ouro...

Palmas =D

paraffinè; disse...

pesadelos tenho quando acordo e vejo aquela luz na janela.