sábado, 16 de janeiro de 2010

Descama-se a cabeça
Explicita a inglória presente
Calmo e resoluto
Banho-me em suor e sono

Sorte de quem tem fantasmas
Jamais padecerá
Da solidão úmida
E de quartos vazios

Afasta-se e cai
Rumoreja e sonha
Os objetos respondem
Silencio que resignifica

Aqui o erro
Bem aqui dentro
Mais um erro desastroso e belo
Ali a possibilidade de nada

Ouvir o mundo
Sentir as diatribes
Fechar-se mais
E nunca mais sair

15-01-2010

Um comentário:

One Wrecked Mind Full of Thoughts disse...

O espírito corresponde a carne. A carne também assola a alma.